O Mundo em Movimento http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br O blog O Mundo em Movimento tem a pretensão de falar sobre vários assuntos, além do mundo do automóvel. Fri, 23 Jun 2017 14:26:56 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Dirigir são e beber ajoelhado http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/23/dirigir-sao-e-beber-ajoelhado/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/23/dirigir-sao-e-beber-ajoelhado/#respond Fri, 23 Jun 2017 14:26:56 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7682 A bordo do Citroën C4, em direção à terra da cachaça


Gouveia, Cabaré e Santa Terezinha são três excepcionais cachaças que provamos na Expocachaça, realizada entre os últimos dias 8 e 10 em Belo Horizonte, com a presença de muitas das melhores bebidas produzidas em todo o Brasil.

Como a viagem previa um test drive com o C4, o sedã médio da Citroën, convidei um parceiro abstêmio para me acompanhar. O resultado foi excepcional: eu dirigia a primeira metade da viagem e bebia na segunda (enquanto ele dirigia), como você vai ver mais adiante.

A Expocachaça levou ao Expominas 150 produtores (incluindo nesse número alguns cervejeiros artesanais) de 23 estados, representando 600 marcas de cachaças, quer dizer, foi até pouco diante do número de produtores de cachaça existentes no País: nada menos do que 40 mil alambiques, sendo que 98% são de micros e pequenas empresas.

Peço licença aos demais produtores, alguns de excepcional qualidade, para destacar três produtos que me encantaram este ano: Gouveia, Cabaré e Santa Terezinha.

A Gouveia Brasil é um esplêndido blend de cachaças envelhecidas em carvalho (cinco anos), jequitibá (cinco anos) e amburana (dez anos). O preço é salgado, R$ 239,00, mas adoça a boca no primeiro gole.

A Cabaré Premium é produzida em Mirassol e envelhecida quinze anos no carvalho francês. R$ 250,00. A Cabaré tem também uma versão prata, descansada no amendoim.

A capixaba Santa Terezinha é uma grande surpresa: produzida na cidade de Enseada do Suá, ES, empolga tanto na versão envelhecida cinco anos em tonéis de castanha do Brasil como na versão de sassafraz, uma madeira pouco usada no envelhecimento de bebidas, mas muito conhecida no Espírito Santo e no sul da Bahia por suas propriedades, como o efeito positivo no sistema sanguíneo e na pele, além de estimular o fígado na sua função de remover toxinas do corpo. Na cachaça, oferece um sabor muito especial e diferenciado das demais madeiras.

Foi uma boa surpresa encontrar na exposição a cachaça Terra Forte, produto da Adega da Pinga, produzida em Presidente Juscelino, que tem uma versão – acredite – de 50 anos no carvalho. Provamos também a Casa Bucco, de Moacir Menegotto; Don Tapparo, feita em Mirassol; Melicana, uma aguardente destilada de mel (e não misturada com mel), de Bom Despacho-MG; a paraibana Engenho Nobre; a Sagrada, feita em Bom Jesus do Amparo e mais Ypioca, Batista e Prazer de Minas.

Vale destacar duas ações em prol da cachaça no Brasil: uma delas é a Escola de Cachaça, do jornalista João Almeida, que mantém cursos online e a outra é o aplicativo Cachaciê, que leva ao conhecimento do público os rótulos e as informações das principais cachaças brasileiras.

Acelerando o Citroën C4

Uma viagem para uma exposição de cachaça pedia o transporte aéreo, para me eximir de misturar direção com álcool. Mas em posse do sedã C4, da Citroën, para um test drive, não resisti em passear pela gostosa rodovia Fernão Dias, que oferece muitas opções de paragens, onde se encontra uma bom café com pão de queijo, bolo de fubá ou uma excelente comida mineira feita no fogão à lenha. Na ida ou na volta a Fernão Dias é uma riqueza para quem gosta de quitutes e de bebericar as boas cachaças regionais, vendidas muitas vezes à granel nos botecos da estrada. Eu e o meu parceiro Carlos Alberto Marques, combinamos: a primeira metade da viagem eu dirijo e ele não bebe. Na segunda ele dirige e eu bebo. Que bom ter um companheiro abstêmio nessas horas.
O motor 2.0 de 143 cavalos do C4 garantiu um excelente desempenho na viagem; o carro passou muita segurança nas infindáveis curvas da rodovia, que circunda os morros das Minas Gerais o tempo todo. Boa aceleração, boa retomada e um conforto excepcional para motorista e passageiros, principalmente os de trás. Tudo com um consumo razoável para o que o carro oferece: 10 km/l, em circuito misto, com cerca de 14, km de rodovia e outros 100km em trajetos urbanos.

Joel Leite e Carlos Alberto Marques (fotos) de Belo Horizonte

]]>
0
Vírus paralisa produção da Honda no Japão http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/22/virus-paralisa-producao-da-honda-no-japao/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/22/virus-paralisa-producao-da-honda-no-japao/#respond Thu, 22 Jun 2017 14:16:27 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7679

A Honda interrompeu a produção na fábrica de Sayama, em Tóquio, por causa de um vírus que infectou os arquivos dos computadores com sistema operacional Windows, tornando-os inacessíveis.
O vírus é o Wannacry. Ele criptografa os arquivos e os raquers exigem um resgate para a empresa a recuperar o controle.

A Honda está checando se o vírus também afetou outras fábricas da empresa no exterior, embora apenas a unidade de Sayama tanha parado a produção. Ali são produzidos 1.000 carros por dia.

No mês passado, o vírus afetou também fábricas da Renault e da Nissan, num ataque cibernético mundial que atingiu cerca de 200 mil computadores em 150 países.

]]>
0
Câmbio CVT traz conforto ao Captur http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/22/cambio-cvt-traz-conforto-ao-captur/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/22/cambio-cvt-traz-conforto-ao-captur/#respond Thu, 22 Jun 2017 13:43:58 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7674 Versão 1.6 tem duas versões de acabamento: a Zen (R$ 84.9 mil) e Intense (R$ 88.4 mil)

Renault CAPTUR XTRONIC CVT. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

O motor 1.6 caiu bem no Captur com câmbio cvt, lançado esta semana no Rio de Janeiro. Suficiente para uma boa tocada, numa avaliação feita apenas em circuito de baixa velocidade. Não houve possibilidade de experimentar o carro acelerando na máxima.
O destaque é realmente o câmbio, com o sistema de transmissão continuamente variável, onde não se percebe a troca de marchas, o que garante total conforto a motorista e passageiros e mais prazer ao dirigir.

O sistema CVT já é comum em carros brasileiros. Além de proporcionar mais conforto, ele reduz em até 10% do consumo de combustível. Como o programa Inovar Auto exige eficiência energética, o recurso do câmbio CVT tem sido uma boa alternativa das montadoras para buscar os seus objetivos. Ele é mais econômico também em relação ao câmbio automático normal.

Renault CAPTUR XTRONIC CVT. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

O incremento na linha Captur surge como uma oportunidade para a fábrica, que tem no modelo uma opção de entrada do consumidor na marca. Segundo pesquisas feitas junto ao consumidor, 50% dos compradores do Captur nunca tinham tido a experiência com um modelo da marca, ou seja, o carro está atraindo público da concorrência.

O carro tem tela de sete polegadas, câmera de ré, chave-cartão que encaixa no painel, sensor de estacionamento, piloto automático, entre outros equipamentos.

Renault CAPTUR XTRONIC CVT. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

O Captur 1.6 cvt tem duas versões de acabamento, a Zen, que custa R$ $ 84.9 mil, e a Intense, por R$ 88.4 mil.

]]>
0
Um congresso para discutir a energia da cana http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/um-congresso-para-discutir-a-energia-da-cana/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/um-congresso-para-discutir-a-energia-da-cana/#respond Wed, 21 Jun 2017 21:12:12 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7671 Os fabricantes de cana-de-açúcar vão realizar o Ethanol Summit, congresso de energias renováveis produzidas a partir da cana, promovido pela Única, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar.
O evento trará discussões de alto nível a respeito da mobilidade veicular, descarbonização do transporte, maior participação dos biocombustíveis na matriz energética brasileira, em decorrência do programa Renova Bio, entre outros temas relacionados ao mercado automotivo.

O congresso vai acontecer nos dias 26 e 27 de junho, no WTC, em São Paulo. A programação pode ser consultada no site www.ethanolsummit.com.br.

]]>
0
Líder, GM depende da família Onix http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/lider-gm-depende-da-familia-onix/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/lider-gm-depende-da-familia-onix/#respond Wed, 21 Jun 2017 16:08:28 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7669 Marca cresce quase 10% em ano de mercado estável

A GM não apenas mantém a liderança folgada no ranking de vendas, mas é também uma das marcas que mais cresceram este ano. Com 142.216 unidades, a empresa obteve 17,7% de participação e teve um crescimento de 9,9% em relação ao período janeiro-maio do ano passado, num período em que o mercado de carros e comerciais leves cresceu apenas 2,2%. A empresa mostrou a força do seu campeão de vendas, que, mesmo tendo levado nota zero em teste de segurança deu a volta por cima, aumentou as vendas e fechou o período na mais absoluta liderança (veja matéria).

O comportamento nestes cinco meses indica que a GM deverá repetir este ano a liderança de mercado conquistada em 2016, assim como o Onix deverá repetir a condição de líder por modelo.

A marca, no entanto, sofre da dependência de apenas dois modelos: o Onix sozinho vendeu (68.321) quase a metade do volume total da montadora (142.216). Já a família Ônix/Prisma é responsável por nada menos do que 65,3% das vendas totais da marca.

Embora a maioria dos modelos da marca tenha aumentado as vendas este ano, o volume total, fora da família Onix, é de 49,3 mil unidades, num total de nove modelos: Spin (+12,6% e 9.121 unidades), S10 (+29,4% e 10.787), Montana, Cruze, Cruze hatch, Cobalt, Captiva, Tracker, Camaro e Trailbrazer.

O balanço mostra também a recuperação da Ford, que no ano passado perdeu o quarto lugar no ranking. A Ford apresentou um extraordinário crescimento este ano, nada menos que 13,4%, superando por apenas 318 unidades a coreana Hyundai, ambas com 9,4% de participação.

As outras duas marcas tradicionais, Fiat e Volkswagen, venderam este ano menos do que nos cinco primeiros meses do ano passado: a alemã perdeu 3,6% e a italiana 9,5%, mas ambas mantiveram suas posições no ranking: a Fiat em segundo e a Volkswagen em terceiro lugar.

Toyota (+ 2,4%) e Renault (+ 4,1%) também aumentaram as vendas este ano, ligeiramente acima do índice do mercado, enquanto a Honda cresceu, mas ficou abaixo da média (+ 1,5%).

Já a Jeep dobrou o volume de vendas em relação aos cinco meses de 2016, e a Nissan também teve crescimento expressivo: + 38,7%.

Esse foi o comportamento das dez marcas mais vendidas no Brasil este ano. Na lista da 11ª à 30ª, apenas mais cinco apresentaram aumento de vendas, sendo quatro delas de super luxo: Jaguar, Porsche e Lexus, além de Suzuki e JAC.

Veja na tabela a posição de cada uma das 30 marcas mais vendidas no ranking dos cinco primeiros meses do ano e a evolução, em percentual, em relação ao mesmo período do ano passado.

 

]]>
0
Luz diurna obrigatória http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/luz-diurna-obrigatoria/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/luz-diurna-obrigatoria/#respond Wed, 21 Jun 2017 15:00:48 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7666

A lei que obriga o motorista acender o farol durante o dia nas rodovias, acabou levando o Denatran, Departamento Nacional de Trânsito, a determinar a instalação de LUZES DIURNAS DE RODAGEM em todos os projetos novos de veículos a partir de 2021 e em todos os carros zero vendidos a partir de 2023.

Quer dizer: os carros atuais devem ter o equipamento a partir de 2023, mas se uma montadora for lançar um modelo novo em 2021, ele já tem que vir com o equipamento.

O equipamento é de led, e deve ser ligado automaticamente quando for dada a partida no carro, de modo que não haverá problema do motorista esquecer de acender o farol.

Mas o sistema é só pra rodar na rodovia durante o dia. Em outras situações em que o farol baixo é exigido ele não vale, como à noite ou em túneis.

]]>
0
Empresas de autopeças buscam mercado dos EUA http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/19/empresas-de-autopecas-buscam-mercado-dos-eua/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/19/empresas-de-autopecas-buscam-mercado-dos-eua/#respond Mon, 19 Jun 2017 19:08:28 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7661 Missão quer aproveitar facilidades oferecidas nas cidades de Dayton e Cincinnati, em Ohio

As regiões de Dayton e Cincinnati oferecem pacote gratuito de serviços que incluem rápida comercialização de produtos e serviços, localização de instalações, contratação de mão de obra, incentivos fiscais e tributários, clientes prospectivos e ajuda com vistos e cidadania norte-americana.

Empresas brasileiras de autopeças vão participar esta semana (de 24 a 28 de junho) de visita a potenciais clientes nos Estados Unidos, mais exatamente nas cidades de Dayton e Cincinnati, Estado de Ohio, em evento organizado pela Dayton Development Coalition e da Cincinnati Regional Economic Development Initiative. Os encontros têm por objetivo realizar parcerias, conhecer locais de instalação e obter informações sobre incentivos financeiros e tributários e assistência na obtenção de residência e cidadania estadunidense. Pelo menos sete empresas brasileiras dos setores automobilístico e aeroespacial confirmaram presença na missão empresarial.

Os representantes das empresas brasileiras vão visitar a Dayton Air Show, a mais importante feira do setor nos Estados Unidos. A missão tem por objetivo abrir o mercado estadunidense para empresas destes setores, fazendo com que elas se tornem menos dependentes da economia e dos fabricantes de automóveis e aviões brasileiros.

O programa inclui visita a empresas de ambos os setores na região de Dayton e Cincinnati, consideradas as principais locomotivas da indústria de manufatura nos Estados Unidos, e ainda locais de instalação, ao mesmo tempo em que receberá informações sobre incentivos financeiros e tributários para abrir filiais nos Estados Unidos.

“Acreditamos que o parque aeronáutico brasileiro não pode mais depender da Embraer – é hora de explorar o mercado dos Estados Unidos, o maior do mundo, que vende US$ 605 bilhões de dólares anualmente e emprega 1,7 milhão de trabalhadores’, disse Mitch Heaton, da Dayton Development Coalition. “O mesmo se aplica ao setor automobilístico. Os Estados Unidos produzem mais de 14 milhões de carros todos os anos, sendo o maior produtor e consumidor de automóveis de todo o mundo”.

Heaton diz que Ohio é a melhor localização para empresas explorarem o mercado norte-americano, uma vez que as regiões de Dayton e Cincinnati estão a poucas horas de distância de pelo menos 60% do mercado comprador nos Estados Unidos. Ohio também oferece financiamento a custos subsidiados, mão-de-obra especializada e a custo competitivo, assessoria na busca, compra ou aluguel de espaços industriais e, principalmente, apresentação a fornecedores da indústria aeronáutica.

Mais informações:
Pedro A. L. Costa – pedro@theinformationcompany.net

]]>
0
Quinzena fraca registra apenas 7.836 carros por dia http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/17/quinzena-fraca-registra-apenas-7-836-carros-por-dia/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/17/quinzena-fraca-registra-apenas-7-836-carros-por-dia/#respond Sat, 17 Jun 2017 17:17:57 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7657

Com apenas 83.187 unidades em 11 dias úteis, o mercado de carros fechou a primeira quinzena de maio com queda de vendas em relação ao mesmo período de maio, sinal de que o crescimento no mês passado não foi mesmo consistente. Foram vendidos 3,6% a menos e a venda diária voltou ao patamar das sete mil unidades: 7.836 carros/dia.

Líder absoluta, a GM mantém participação na faixa dos 17% (14.492 carros), mas a Fiat, que reassumiu o segundo lugar em maio, caiu novamente para terceiro, mesmo tendo colocado quatro carros – Uno, Mobi, Toro e Strada – entre os onze mais vendidos no mês (veja ranking por modelo). A marca italiana ficou com 13,1%, atrás da Volkswagen, com 14,3%.

O destaque na quinzena foi a Honda, que ficou (bem) à frente na Renault: sétima colocada, a japonesa vendeu 5.612, contra 4.012 da francesa, oitava colocada (no mês passado a Renault fechou com quase três mil Renault na frente da Honda).

A Hyundai se mantém entre as quatro mais vendidas, deixando a Ford em quinto. Jeep (nona colocada) e Nissan (décima) completam a lista das dez.

Veja a lista das 30 marcas mais vendidas na quinzena

]]>
0
HB20 e Uno crescem na quinzena http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/17/hb20-e-uno-crescem-na-quinzena/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/17/hb20-e-uno-crescem-na-quinzena/#respond Sat, 17 Jun 2017 17:16:18 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7655

Se a relação dos carros mais vendidos não teve mudanças importantes, é preciso destacar o crescimento de dois modelos entre os mais vendidos na primeira quinzena de junho.

Somente o Hyundai HB20 e o Fiat Uno aumentaram as vendas no período (em relação a primeira quinzena de maio). Com 5.064 unidades, o HB20 está recuperando a segunda posição no ranking (perdida para o Ka no mês passado) e registrando um crescimento de 11,8%. Ainda assim, está mais de mil carros atrás do líder Onix, que vendeu 6.292 carros na quinzena. O Uno, oitavo colocado, vendeu 14,6% a mais do que na primeira quinzena de maio (2.202 unidades). Foram os únicos entre os dez mais vendidos que aumentaram as vendas.

Além do Uno, a Fiat mantém mais dois carros entre os Dez Mais: o Mobi em sétimo e a Toro na décima posição, sendo que a picape Strada aparece nem 11º lugar, atrás do Etios. Embora com queda de 25% nas vendas o Gol está em terceiro lugar no ranking, na frente do Ka, quarto colocado. Prisma (5º) e Corolla (6º) também estão entre os mais vendidos.

Veja a lista dos 50 carros mais vendidos na primeira quinzena de junho

]]>
0
Biodiesel sem padrão preocupa a indústria http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/14/biodiesel-sem-padrao-preocupa-a-industria/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/06/14/biodiesel-sem-padrao-preocupa-a-industria/#respond Wed, 14 Jun 2017 13:10:59 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7653 Fabricantes querem testar diesel com adição de gordura animal antes de ser colocado à venda

O governo brasileiro vai aumentar o volume de biodiesel no combustível de petróleo. Hoje o diesel vendido nos postos de combustíveis tem 8% de material biológico, o restante, 92%, é proveniente de combustível fóssil.

A proposta é aumentar brevemente para 9% ou 10%, e isso preocupa os fabricantes de veículos. A Renova Bio, programa que pretende elevar a bioenergia a 18% até 2030, deve definir o aumento do biodiesel em 90 dias, com base nos debates das propostas do programa elaboradas a partir de consulta pública e estudos técnicos. O programa tem como objetivo atender uma das metas propostas no Acordo de Paris.

O presidente da Anfavea, Antonio Megale, disse que conceitualmente a indústria é favorável à adição de material biológico no diesel para uso em veículos automotores, mas para isso é preciso que a alteração no combustível seja submetida a testes nos veículos, caso contrário, conforme Megale, “as montadoras não podem garantir o bom funcionamento dos veículos”

O presidente da Anfavea reclamou que o governo não disponibilizou, até hoje, a nova formulação do diesel com 9% ou 10% de biodiesel. “O aumento do biodiesel tem que ser testado”, disse, destacando ainda que deve aumentar a participação de biodiesel proveniente de gordura animal, o que muda a composição do combustível.

O biocombustível é feito de vegetal e de animal, e, misturado com o diesel fóssil, reduz as emissões de poluentes, além de diminuir o uso de material finito.

O Brasil é o terceiro maior consumidor de combustíveis para transportes, segmento responsável por 43% das emissões de CO2 na atmosfera, mas também é líder no uso de energias limpas e o segundo maior produtor de etanol e biodiesel do mundo.

A pesquisadora da Embrapa Agroenergia, Itânia Soares, concorda que a alteração da composição do biodiesel, com o aumento da gordura animal, pode alterar as propriedades do combustível, pois ela (a gordura) apresenta maior teor de saturados em relação ao material extraído das plantas. Segundo a pesquisadora, os ésteres de cadeias saturadas são menos suscetíveis a degradação por oxidação que os ésteres insaturados mas, por outro lado, solidificam-se mais facilmente. Essa característica, na prática, ocasiona o entupimento de bicos injetores dos veículos, comprometendo a queima eficiente do combustível. Assim, é imperioso que se façam testes nos veículos automotores antes de o produto alterado ser colocado à venda nos postos de combustíveis, como quer o presidente da Anfavea.

Embora seja mais viável economicamente, a participação da gordura animal na composição do bioediesel é de apenas de 20%, sendo o restante 80% proveniente da soja.

]]>
0