O Mundo em Movimento http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br O blog O Mundo em Movimento tem a pretensão de falar sobre vários assuntos, além do mundo do automóvel. Fri, 20 Jan 2017 17:18:45 +0000 pt-BR hourly 1 http://wordpress.org/?v=4.2.5 Inflação do Carro tem alta de 6,42% no ano http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/20/inflacao-do-carro-tem-alta-de-642-no-ano/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/20/inflacao-do-carro-tem-alta-de-642-no-ano/#comments Fri, 20 Jan 2017 17:14:27 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7230 – Índice ficou abaixo do IPC da Fipe, que foi de 6,54%
– Alta em dezembro (+1,6%) foi provocada pelos combustíveis 

A Inflação do Carro da Agência Autoinforme fechou o ano de 2016 com um índice bem próximo ao IPC da Fipe, na verdade um pouco abaixo. O levantamento feito pela Autoinforme registrou uma alta nos preços no ano de 6,42%, enquanto a Fipe registrou numa inflação de 6,54% para o País. Ficou bem próximo também do IPCA, divulgado pelo IBGE, que foi de 6,29%.

O índice de 2016, no entanto, é bem menor do que o registrado em 2015, quando a Inflação do Carro bateu seu recorde histórico, com 12,95% (veja gráfico de 2003 a 2016).

Inflação do carro gráfico 2016 fechamento

Dezembro foi um dos meses mais caros para o motorista, registrando o segundo maior índice do ano: 1,6%. Mais uma vez foram os combustíveis que elevaram a Inflação do Carro no último mês do ano.

O preço do álcool oscilou durante o ano todo, variando conforme a safra e entressafra da cana de açúcar. Entre janeiro a março, período da entressafra, o combustível chegou a acumular alta de 9,5%. De abril a agosto, o álcool ficou mais barato, registrando quedas mensais significativas. Entre janeiro a agosto o combustível natural acumulava queda de 7,2%. A partir de setembro voltou a subir. Em dezembro foi registrada a maior alta, 6,5%, e fechou o ano com alta de 9,0%.

Inflação do carro gráfico 2003 a 2016

A gasolina começou em alta nos três primeiros meses do ano, depois oscilou para baixo entre abril a agosto e a partir de setembro só subiu de preço, fechando o ano com alta de 3,76%. Quando, em outubro, veio a noticia de queda no preço nas distribuidoras, esperava-se que houvesse repasse para o consumidor, mas não foi o que aconteceu e o preço da gasolina continuou em alta.

Individualmente, o item que mais subiu de preço no ano passado foi a pastilha de freio, 10,5%, seguida pelo álcool, com 9%, o jogo de amortecedores (+8,37%) e os pneus (+7,59%).

 

]]>
0
Jeep foi a marca que mais cresceu em 2016 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/19/jeep-foi-a-marca-que-mais-cresceu-em-2016/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/19/jeep-foi-a-marca-que-mais-cresceu-em-2016/#comments Thu, 19 Jan 2017 15:48:07 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7225 – Com apenas o Renegade durante quase todo o ano, marca vira exceção em ano de crise e entra na lista das Dez Mais

jeep_renegade2017

A Jeep foi a marca de grande volume que mais cresceu em 2016, ano em que o mercado total de carros e comerciais leves registrou uma queda de 19,8%, com um volume de vendas que não chegou a dois milhões (1.986.564), o pior desempenho desde 2012 tirou posições do Brasil no ranking mundial.

Além da Jeep, apenas a Toyota teve aumento real de vendas entre as marcas de grande volume. Outras quatro marcas, com vendas em volumes  residuais cresceram em 2016. Todas as outras perderam.

A Jeep vendeu 59.060 unidades no ano passado, passando a integrar o ranking das dez marcas mais vendidas no Brasil e apresentou um crescimento de 41,3%

O Renegade, que se firmou no mercado e tornou-se vice-líder do segmento de utilitários esportivos, foi o responsável pelo desempenho da marca, pois ele ficou sozinho praticamente o ano todo. A marca apresentou novidades durante o ano e o carro ganhou novo motor de 139 cavalos (era de 132cv). Obteve em 2016 o segundo menor índice de depreciação do mercado brasileiro ( o primeiro ficou com o Honda HR-V), com uma depreciação de apenas 6,4% após um ano de uso, na certificação Maior Valor de Revenda.

Somente nos últimos meses de 2016 é que a Jeep fez o seu segundo modelo fabricado no Brasil, na fábrica de Goiana-PE: o também utilitário esportivo Compass, que de cara mostrou que veio para brilhar: além de colaborar para o aumento de vendas no ano passado, o Compass inicia 2017 entre os dez primeiros do ranking (veja matéria).

Veja o comparativo de vendas por marca

]]>
0
Etios pela primeira vez entre os Dez Mais http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/17/etios-pela-primeira-vez-entre-os-dez-mais/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/17/etios-pela-primeira-vez-entre-os-dez-mais/#comments Tue, 17 Jan 2017 16:55:52 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7216 – Gol e Sandero iniciam o ano na lista dos dez mais vendidos 

Toyota_Etios_Frentlat_2015

A novidade no ranking de venda por modelo neste ano é a presença do Etios entre os dez mais vendidos do País. O hatch da Toyota figura pela primeira vez no ranking, com 1.805 unidades vendas na primeira quinzena de janeiro.

Compass-2017-1

Outro destaque importante é a presença do Compass  na liderança do segmento de utilitários esportivos. Lançado em novembro, o carro da Jeep inicia o ano vendendo 1.582 unidades, mais do que o Renegade e o HRV, enquanto Hyundai Creta, vendeu no seu primeiro mês, 355 unidades.

HYUNDAI_CRETA_01

Líder absoluto em seu segmento, o Corola vendeu na primeira quinzena (2.351 unidades) o dobro do que os seus concorrentes: o Civic vendeu 905 e o Cruze 760.

Toyota_Corolla_2016_Gli-manual

Veja os 50 carros mais vendidos na primeira quinzena de janeiro

]]>
0
Previsões já sucubem na primeira quinzena de janeiro http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/17/previsoes-ja-sucubem-na-primeira-quinzena-de-janeiro/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/17/previsoes-ja-sucubem-na-primeira-quinzena-de-janeiro/#comments Tue, 17 Jan 2017 16:54:30 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7214 – Venda é 33% menor do que na primeira quinzena de dezembro
– Média diária é menor do que a registrada no ano passado: 6.456

onix_prisma_2017

GM começa o ano na liderança

As previsões que a indústria e os distribuidores de veículos fazem para 2017 são positivas. A Anfavea indica um aumento de vendas de carros e comerciais leves de 4% e a Fenabrave +2,4%.

O estudo feito por essas entidades é um indicador para o setor, que com base nele se organiza em produção e estratégia de vendas para o novo período. Mas a avaliação é feita com base nas atuais situações política e econômica do País, o que pode mudar do dia para a noite. Uma mudança na taxa de juros, uma troca de ministro, um golpe parlamentar, tudo pode levar alterações nas previsões. Por isso não é confiável apostar nos números divulgados. Tanto que o setor tem errado redondamente nas suas previsões.

No ano passado, a Fenabrave apostou em queda de 5,7% e a Anfavea em -7,3%. O mercado caiu 19,8%!

Neste ano, parece, não será diferente. As vendas na primeira quinzena de janeiro indicam que 2017 será ainda pior que 2016, se o ritmo persistir. Foram vendidos 71.021 carros e comerciais leves entre os dias 1 e 16 deste mês, o que dá uma média diária sofrível, de 6.456 unidades: para você ter uma idéia do que isso representam saiba que em nenhum mês de 2016 as vendas ficaram abaixo de sete mil unidades por dia. E com o feriado paulistano de 25 de janeiro, a segunda quinzena deverá ter um volume de licenciamento ainda menor.

O volume licenciado na primeira quinzena é 6,6% menor do que no mesmo período do ao ano passado e 33% menor do que a primeira quinzena de dezembro.

O ranking por montadora permanece inalterado nas primeiras posições, com liderança da GM, seguida por Fiat e Volkswagen. Mas a GM está bem à frente: tem quase 20%, contra 14,2% da Fiat e 13,5% da Volkswagen. Mas o quatro lugar mudou de dono: a Toyota subiu (10,5%) e a Hyundai caiu para o quinto, ficou com 8,3%.

Veja o ranking por marca na primeira quinzena de janeiro

]]>
0
Gasto com o carro foi de R$ 15,7 mil em 2016 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/16/gasto-com-o-carro-foi-de-r-157-mil-em-2016/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/16/gasto-com-o-carro-foi-de-r-157-mil-em-2016/#comments Mon, 16 Jan 2017 13:00:47 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7171 Na hora de comprar o carro muita gente não leva em conta o gasto que vai ter no uso e na manutenção.

A pessoa calcula o valor da prestação, vê que dá pra pagar e faz a compra. Muito cuidado. É preciso calcular o chamado Custo de Propriedade do Veículo, que consumidores europeus começam a levar em conta na hora de comprar um carro novo.

O custo varia muito conforme o modelo, a categoria do carro e o preço. É preciso levar em conta, por exemplo, o consumo de combustível, o valor do seguro, preço de peças e serviços na concessionária e o valor de revenda, isto é: quanto o carro vai perder na hora da revenda.

Não existe ainda uma tabela de despesas por veículo, mas o levantamento de preços feito para a composição da Inflação do Carro dá uma boa idéia de quanto você vai gastar para andar com o carro e fazer a manutenção preventiva.

Um carro pequeno, na faixa de R$ 30 mil a R$ 50 mil, gastou em 2016 R$15,7 mil, uma média de R$ 1.310,00 por mês, levando em conta as cinco cestas de produtos pesquisadas: combustíveis, peças de reposição, serviços de oficina, seguro e impostos de circulação.

São valores médios, e consideram que o dono do carro fez as manutenções preventivas recomendadas pelo fabricante e teve um uso normal do carro. Muita gente pode não ter gasto esse valor durante o ano, mas se não gastou, vai gastar. Ou então vai deixar o estrago para o futuro comprador, quando repassar o carro no mercado. Pior: a falta de manutenção pode provocar uma quebra e o resultado pode ser um gasto ainda maior.

]]>
0
Chinesas caem pela tabela http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/13/chinesas-caem-pela-tabela/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/13/chinesas-caem-pela-tabela/#comments Fri, 13 Jan 2017 15:50:59 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7209 – Só Effa fechou o ano no azul e JAC perdeu a liderança para a Lifan

chery_qq

Se o ano foi péssimo para o setor de importados (veja matéria) as chinesas, particularmente, tiveram um desempenho pra lá de pífio. Com exceção da Effa, que teve vendas residuais (vendeu apenas 89 unidades em 2016), mas cresceu 45,9%, as marcas chinesas que atuam no Brasil despencaram pela tabela. Foram as que mais perderam em volume de vendas e em participação.

jac_t5_automatico

A JAC, que deixou de ser a marca mais vendida no segmento, perdeu 45,7% das vendas: caiu de 5.026 unidades em 2015 para 2.727 no ano passado. Agora, a marca chinesa mais vendida no Brasil, é a Lifan, que, mesmo com queda de 31,8%, fechou o ano com o maior volume de vendas no segmento: 3.412 unidades (no ano anterior vendeu 5.006).

Lifan_X60_frentlat_2016

A Chery, que mantém uma fábrica no Brasil, vendeu menos da metade do volume negociado no ano passado: foram apenas 2.159 unidades, contra 5.328 em 2015, uma queda, portanto, de 59,5%.

EFFA_picape-longa_l

As outras cinco chinesas, todas com números desprezíveis de venda, tiveram desempenho ainda pior. A Hafei foi a mais afetada, vendeu apenas 43 unidades, 80% a menos do que no ano anterior. A Relly perdeu 73,5%, a Jinbei 68,7% e a Shineray 67,6%. Fim de feira. Elas estão presentes no mercado apenas para desovar o que restou do estoque e atender o consumidor. Mas não estão mais importando.

Veja o ranking das chinesas

]]>
0
Quanto vale o seu carro usado? http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/13/quanto-vale-o-seu-carro-usado/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/13/quanto-vale-o-seu-carro-usado/#comments Fri, 13 Jan 2017 13:00:04 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7165 carrousados

O valor de um carro usado é muito subjetivo. A pessoa pede o quanto quiser e, se houver quem pague é esse o preço e ponto final.

Mas as tabelas de preços, as cotações do mercado, os anúncios classificados dão uma boa idéia do valor do carro usado e orientam quem vai comprar ou vender.

E o carro que consegue um bom valor de revenda acaba sendo mais procurado pelo comprador do zero, porque ninguém quer perder muito na hora da troca.

É inegável a importância, não apenas do carro TER um bom valor de revenda, mas da montadora e da rede de revendas de acompanharem o comportamento do produto no mercado, para que possam calcular com mais precisão o preço e o potencial de revenda, informações imprescindíveis para não correr riscos na comercialização de usados.

Segundo uma consultoria na área de intermediação de carros usados, as concessionárias brasileiras perdem cerca de R$ 1 bilhão em negócios todos os anos por causa de falhas no processo de captação e avaliação de seminovos e usados oferecidos como entrada na compra do zero.

]]>
0
88% dos brasileiros valorizam o apoio ao meio ambiente http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/13/88-dos-brasileiros-valorizam-o-apoio-ao-meio-ambiente/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/13/88-dos-brasileiros-valorizam-o-apoio-ao-meio-ambiente/#comments Fri, 13 Jan 2017 11:04:05 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7207 – Pesquisa feita pela Unilever revela que o apoio a empresas engajadas é maior no Brasil do que em países desenvolvidos

Toyota_APA

Um de cada três consumidores do Brasil, Índia, Turquia, EU e Reino Unido disse que prefere marcas que impactem positivamente a sociedade e o meio ambiente. A pesquisa foi feita pela empresa Europanel, a pedido da Unilever, que ouviu 20 mil pessoas nos cinco países.

O levantamento mostrou que os consumidores brasileiros, turcos e indianos são os que mais consideram as questões sociais e ambientais na decisão de compra: enquanto 53% de consumidores no Reino Unido e 78% nos EUA afirmam se sentir melhor quando compram produtos fabricados de maneira sustentável, essa porcentagem aumenta para 88% na Índia e para 85% no Brasil e na Turquia.

Segundo os pesquisadores, a exposição direta ao impacto negativo de práticas empresariais insustentáveis (falta de água e energia, escassez de alimentos e qualidade de ar inferior) e o poder de influência de familiares, amigos e filhos para a compra de produtos mais verdes e socialmente responsáveis seriam prováveis motivos pelo maior engajamento do consumidor em economias emergentes.

O estudo feito com base na pesquisa revela que as empresas têm boa oportunidade de negócio ao investirem em sustentabilidade e no marketing de apoio ao meio ambiente: 21% dos entrevistados disseram que escolheriam marcas que comuniquem melhor seu apoio à sustentabilidade em embalagens e campanhas de marketing. Segundo a Europanel, isso representa um potencial de cerca de quatro bilhões de reais em relação a um mercado total de bens sustentáveis.

A indústria automobilística desenvolve diversos projetos sociais e ambientais e fazem deles um espelho da sua atuação em apoio à sustentabilidade.

Entre os mais importantes, destaque para

Poço de Carbono da Peugeot: recuperação de área devastada com plantação de árvores nativas e espécies exóticas no município de Alta Floresta, no coração daAmazônia.

Cooperárvore: cooperativa da Fiat (FCA) que faz parte do Projeto Árvore da Vida, programa social desenvolvido pela empresa em parceria com a ONG AVSI Brasil em Betim (MG). Ao longo de uma década, foram reutilizadas 25 toneladas de materiais da indústria automotiva e na comercialização de 234 mil produtos, no Brasil e no exterior.

Parque eólico da Honda: com o objetivo de buscar alternativas para reduzir os impactos ambientais de suas operações e produtos, a empresa montou um parque eólico na cidade de Xangri-Lá, Rio Grande do Sul. A energia produzida equivale a todo o consumo da fábrica de Sumaré, no interior paulista.

Estrela da Manhã: projeto da Mercedes-Benz para o desenvolvimento profissional dos aprendizes na escolha de suas carreiras, por meio de cursos e palestras. O programa é realizado com os estudantes que ingressam na fábrica de São Bernardo do Campo. O projeto já beneficiou mais de 100 jovens.

O Trânsito e Eu: projeto da Renault voltado para educação de trânsito para criança, presente em Curitiba, São José dos Pinhais e Maringá no Paraná, Pelotas (RS), Itu, São Bernardo do Campo e Santa Bárbara d’Oeste, em São Paulo. A alcança 380 escolas e beneficia 47 mil alunos. Faz apresentações itinerantes em parques, shoppings e eventos.

Costa dos Corais: Projeto da Toyota que luta pela preservação ambiental de 413 mil hectares entre três municípios de Pernambuco e dez de Alagoas, numa parceria entre a Fundação Toyota, Instituto Chico Mendes e Fundação SOS Mata Atlântica. A ação conserva recifes de corais, protege as áreas de manguezais e preserva o habitat do peixe-boi-marinho, um dos mamíferos aquáticos mais ameaçados de extinção.

KeithWeed_Unilever

Keith Weed, chefe de Marketing e Comunicações da Unilever, que solicitou a pesquisa, disse que o levantamento confirma que a sustentabilidade é um incremento desejável para os negócios. “Para obter êxito global, especialmente em economias emergentes, as marcas precisam ir além das áreas de foco tradicionais como desempenho de produto e acessibilidade. Precisam agir depressa para demonstrar suas credenciais sociais e ambientais e mostrar aos consumidores que, além de bem geridas, são confiáveis no que tange ao futuro do planeta e das comunidades”, disse o executivo.

A Unilever confirmou que as marcas da empresa que têm um propósito social ou ambiental – Dove, Omo, Hellmann’s, Lifebuoy, Vim e Ben & Jerry’s – tiveram crescimento acima da média em 2015.

]]>
0
Fiat tira sete modelos de linha http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/12/fiat-tira-sete-modelos-de-linha/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/12/fiat-tira-sete-modelos-de-linha/#comments Thu, 12 Jan 2017 19:36:27 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7204 Fiat_Bravo_TJET_frentlat_vermelho

A Fiat tirou do seu catágo de produtos nada menos do que sete modelos neste início de ano: o hatch médio Bravo, o sedã Linea, o utilitário esportivo Freemont, o monovolume Idea, o hatch de entrada Palio Fire, o sedã pequeno Siena Fire e o furgão Doblò

Linea_2016

Os modelos não aparecem mais disponíveis na tabela de preço

Fiat_Palio Fire_2016_frentlat (1)

Por outro lado, a Fiat deve lançar muitas novidades até o próximo ano. No primeiro semestre é esperado um carro que ira substituir o Palio e o Punto; no segundo semestre será a vez do novo Linea, o modelo já foi visto rodando no Brasil.

FiatDoblo_cargo

]]>
0
Jaguar foi a marca que mais cresceu http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/11/jaguar-foi-a-marca-que-mais-cresceu/ http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/2017/01/11/jaguar-foi-a-marca-que-mais-cresceu/#comments Wed, 11 Jan 2017 17:06:06 +0000 http://omundoemmovimento.blogosfera.uol.com.br/?p=7200 – O sedã esportivo XE foi o responsável por mais da metade das vendas

JAGUAR_xe

A Jaguar foi a marca que mais cresceu no Brasil em 2016, com aumento de vendas de 52,2%. Disputando segmento de luxo, a marca inglesa vendeu 793 unidades no ano, contra 521 no ano anterior.

Em números absolutos, o aumento é irrisório de considerarmos o mercado total de dois milhões de unidades: foram, apenas 272 unidades a mais que em 2015, mas como desempenho de marca é altamente positivo, em contraposição à queda de 19,8% no mercado total.

A Jaguar lançou o sedã XE em setembro de 2015 e o utilitário esportivo F-Pace em 2016, sendo que o XE foi o mais vendido no ano passado, responsável por mais da metade das vendas (veja ranking)

Outras duas marcas de luxo cresceram em 2016: a Porsche saltou de 775 unidades em 2015 para 1.009 no ano passado, com destaque para o utilitário esportivo Cayenne, responsável por 339 unidades vendidas. A Porsche teve um aumento de 30,2% nas vendas em 2016. A outra marca de luxo que fechou 2016 com crescimento foi a Lexus, que vendeu 453 unidades e aumentou as vendas em 12,7%. Apenas as três – Jaguar, Porsche e Lexus – aumentaram as vendas no ano passado; todas as demais perderam.

Segundo a empresa, o bom desempenho da marca é resultado do investimento global de R$ 12,4 bilhões que o grupo fez em novos carros e tecnologias nos últimos anos, com inovações no modelo F-Pace e o motor Ingenium diesel.

“O lançamento do Jaguar F-Pace, primeiro utilitário esportivo da marca, contribuiu para o desempenho positivo da empresa no ano passado”, ressaltou Gabriel Patini, diretor da empresa no Brasil.

Globalmente a Jaguar também comemora crescimento em 2016 e destaca como “principais mercados responsáveis por esse desempenho a China, a América do Norte e o Reino Unido, que registraram crescimentos de 31%, 25% e 17% respectivamente”. É claro que o mercado brasileiro é insignificante comparado com esses três gigantes, mas percentualmente (52,2%) foi o Brasil que registrou o maior crescimento.

A Jaguar tem 35 concessionárias no Brasil.

Veja os modelos mais vendidos da Jaguar

]]>
0